20 julho 2024, 20:46
Mais
    InícioEntretenimentoAmor foi o segredo para uma festa tão grande em Figueiras

    Amor foi o segredo para uma festa tão grande em Figueiras

    Published on

    Foi numa promessa de amor feita há 23 anos que começou a Festa em Honra de Nossa Senhora da Misericórdia de 2023, na freguesia de Figueiras, concelho de Lousada. Miguel Martins prometeu à, na altura, apenas “conhecida” Andreia Bessa que havia de casar com ela, ter dois filhos e levar-lhe à terra Xutos & Pontapés. A promessa causou um riso de troça em Andreia, mas, 23 anos depois, casada, com dois filhos, viu os Xutos & Pontapés atuarem na própria terra. Isto porque, este ano, Miguel Martins foi juiz da festa juntamente com outros cinco colegas, incluindo a juíza, Ivone Gomes.

    “Estamos muito felizes por ver concretizado este sonho. A festa correu muito bem e superou todas as expectativas. Foi um ano muito desgastante, mas chegámos ao fim com o sentido de dever cumprido. Aliás, dou um conselho a toda a gente: sejam festeiros uma vez na vida”, afirma Miguel Martins.

    Para além de conselhos, este grupo de sete festeiros deu também muito amor a uma causa que é a festa da terra. “Para ver tudo isto concretizado é preciso muito amor e muito gosto, mas também muito trabalho e empenho. É muito desgastante, mas é também como um nascer de um filho, uma felicidade desmedida”, confessa o juiz da festa.

    Miguel Martins mostra-se visivelmente emocionado ao recordar os vários dias de festa que o grupo proporcionou aos figueirenses e não só. O juiz lembra o trabalho de um ano que os afastou da família e dos amigos. “Construímos um bar de ‘raiz’, a Taberna Misecordiana, que vai ficar para as próximas comissões de festas e onde angariámos grande parte da receita para esta festa. Organizámos várias festas e contámos com a ajuda do povo de Figueiras para poder fazer uma festa tão grande e bonita”.

    O cartaz musical contou com nomes como Ágata, Xutos & Pontapés, Ivo Lucas e Augusto Canário, mas houve ainda um espetáculo de Freestyle. Dois dos momentos mais ‘altos’ da comemoração foram a grandiosa sessão de fogo-de-artifício, que durou cerca de 20 minutos, e a majestosa procissão em honra de Nossa Senhora da Misericórdia que, para além do magnífico tapete das ruas realizado pelo Clube de Motard de Figueiras, contou com a presença da Banda Musical de Lousada e da Associação Musical de Freamunde e com uma surpresa protagonizada pelo juiz da festa e por um membro da comissão de festas que cantaram uma melodia juntamente com a Banda Musical de Lousada.

    Foram vários os momentos de animação e convívio que fizeram encher o recinto da festa com milhares de pessoas de vários pontos do país. Para o juiz da festa, isso é o mais importante. “Esta festa demonstrou o que nós somos em termos de equipa e de pessoas, gente organizada e lutadora, que transmite confiança a quem nos acompanha e depois nos ajuda”.

    E, quando se fala de números, Miguel Martins não tem dúvidas: “o orçamento da festa é o amor”. O orçamento da festividade rondou os 200 mil euros, facto que o juiz garante que “se deve ao povo de Figueiras, que nos ajudou muito e nos abria as portas nos momentos do peditório pela freguesia. Eu sei que é provável que me esqueça de alguém porque foram mesmo muitas as ajudas que nos deram, e peço desculpa a quem me esquecer ou não for possível pronunciar aqui, mas tenho mesmo de agradecer à minha família, à minha esposa, Andreia Bessa, aos meus sogros e a todos os que nos apoiaram. À Cristina e ao Nuno que ficaram com os nossos filhos, à Mónica, pela ajuda na cozinha, ao sr. Neto e aos vizinhos e a todos os nossos patrocinadores, que foram excecionais. Ao sr. Luís e ao sr. Hélder e a todos os que nos ajudaram na organização da taberna. À JF Produções, ao Pedro, ao Luís e ao Jorge. Ao sr. Pontes. Ao Grupo de Bombos de Figueiras e neles a todas as associações da freguesia e aproveito para pedir a todos os presidentes que ajudem as instituições de cada uma das freguesias. Ao Filipe Costa com quem partilhei o palco num dos momentos mais marcantes para mim, o anúncio da subida ao palco dos Xutos & Pontapés. Ao Luís Miguel, ao Alfredo e à esposa. Ao Abílio Leal e ao Borguinha por nos ajudarem a criarem o hino da freguesia. À Cinda Pinheiro, à Maria Barbosa e ao pessoal que andou connosco nas marchas, no cortejo e nas janeiras. E, um louvor muito especial à mãe da juíza da festa, à Glória Teixeira. Sem eles, e muitos outros, nada disto seria possível”.

    A comissão de festas de 2024 já tomou posse e recebeu, da anterior comissão de festas, um cágado, porque, explica Miguel Martins, “o facto de andar devagar não significa que não se ande bem”. O cágado passará assim a ser a mascote das Misecordianas de Figueiras.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Publicidade

    mais recentes

    Associação dos Voluntários de Caíde de Rei Comemora 34º Aniversário

    A Associação dos Voluntários de Caíde de Rei, ACR, celebrará o seu 34º Aniversário...

    Detidos por tráfico de estupefacientes em Paredes

    O Comando Territorial do Porto da (GNR), através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC)...

    Incêndio deflagrou em Canelas

    Um incêndio deflagrou, na quinta-feira de 18 de julho, num amontoado de lenha situado...

    Idosa perde a vida em acidente

    Uma mulher de 81 anos faleceu na manhã de quarta-feira, 17 de julho, após...

    Lousada lidera plantação de árvores em Portugal

    O Município de Lousada ocupa o primeiro lugar nacional na plantação de árvores, no...